Certificado de Depósito Bancário (CDB)

Os Certificados de Depósito Bancário representam um empréstimo que o investidor faz a determinada instituição financeira, que pode utilizar os recursos captados para a concessão de diversas espécies de empréstimos e financiamentos.

Por isso, os CDBs, que são tão seguros quanto a caderneta de poupança, constituem hoje a principal forma de captação de recursos utilizada pelos bancos brasileiros.

Rentabilidade:

Os rendimentos gerados pelos Certificados de Depósito Bancário são geralmente superiores aos da tradicional caderneta de poupança, o que os torna uma opção interessante para aqueles que buscam diversificar seus investimentos e que não gostam de tomar grandes riscos.
Tendo isso em conta, é essencial compreender que os Certificados de Depósito Bancário podem ser pré-fixados, sendo a taxa de juros estabelecida no momento da aplicação, ou pós-fixados, quando os rendimentos do título são indexados à taxa CDI, que é um indicador usado como referência de rentabilidade pelas instituições financeiras (na realidade, a taxa CDI representa os juros cobrados pelos bancos na concessão de empréstimos entre si).
A maior parte dos CDBs emitidos no Brasil, aliás, está indexada à taxa CDI, o que facilita a sua comparação com outras espécies de investimento.
Além disso, é interessante registrar que a rentabilidade dos CDBs varia de instituição financeira para instituição financeira (bancos pequenos e médios geralmente oferecem rendimentos maiores) e de acordo com o prazo e volume da aplicação (prazos e aplicações maiores garantem ao investidor uma remuneração significativamente maior).
Por essa razão, fique atento, pois nem todos os CDBs geram rendimentos superiores ao da caderneta de poupança, já que grandes bancos costumam remunerar seus Certificados de Depósito Bancário com taxas menores que as oferecidas por bancos pequenos e médios, de forma que, após o desconto do imposto de renda incidente sobre seus rendimentos, os rendimentos líquidos obtidos pelo pequeno investidor podem ser iguais ou menores que os da caderneta de poupança.
Liquidez:

A liquidez dos Certificados de Depósito Bancário é definida no momento da aplicação, sendo que muitos CDBs somente podem ser resgatados na data de seu vencimento.
Alguns Certificados de Depósito Bancário, porém, possuem liquidez diária, e, nesse caso, podem ser resgatados a qualquer momento, de modo que podem ser inclusive utilizados como uma reserva para emergências.
Os CDBs que somente podem ser resgatados na data de seu vencimento, com efeito, costumam oferecer taxas melhores que os Certificados de Depósito Bancário com liquidez diária, sendo, portanto, uma alternativa interessante para aqueles que não planejam utilizar os recursos aplicados antes de seu vencimento.
Segurança:

Os Certificados de Depósito Bancário, assim como a caderneta de poupança, estão protegidas pelo Fundo Garantidor de Crédito – FGC, que cobre perdas de até R$ 250.000,00 por CPF e instituição financeira.
Ou seja, se o banco emissor de seu CDB quebrar, seus investimentos em renda fixa, desde que inferiores a R$ 250.000,00, serão assegurados pelo Fundo Garantidor de Crédito.
Por isso, é possível dizer que os Certificados de Depósito Bancário são um investimento de baixo risco.

Imposto de renda:

Diferentemente da poupança, na qual os juros são creditados somente na data de aniversário de cada aplicação, a rentabilidade dos CDBs é diária, ou seja, o valor de seus Certificados de Depósito Bancário aumenta todos os dias.
Por outro lado, diferentemente dos rendimentos obtidos na tradicional caderneta de poupança, os rendimentos gerados pelos CDBs estão sujeitos à incidência de imposto de renda, que será descontado na fonte segundo as seguintes alíquotas:
– aplicações de até 180 dias: 22,5% sobre os rendimentos
– aplicações de 181 a 360 dias: 20% sobre os rendimentos
– aplicações de 361 a 720 dias: 17,5% sobre os rendimentos
– aplicações acima de 720 dias: 15% sobre os rendimentos
Os rendimentos gerados pelos Certificados de Depósito Bancário, consequentemente, estão sujeitos ao imposto de renda de forma definitiva, que é recolhido automaticamente pelo banco emissor, de forma que não aumentam a renda do contribuinte para fins de imposto de renda na declaração de ajuste anual, na qual somente devem ser declarados na aba Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva ou Definitiva.
Além disso, é preciso registrar que, se você resgatar seu CDBs antes de 30 dias, seus rendimentos estarão sujeitos à incidência do Imposto sobre Operações Financeiras segundo a tabela regressiva, reduzindo significativamente sua rentabilidade (o IOF, nesse caso, acaba sendo utilizado pelo governo como uma forma de estimular a manutenção dessa espécie de investimentos por pelo menos 30 dias).

Como investir:

Para se investir em Certificados de Depósito Bancário é preciso ter uma conta no banco emissor, ou em uma corretora de valores que faça a distribuição de títulos emitidos por diversas instituições financeiras.
As aplicações e resgates, com efeito, podem ser realizadas por telefone ou, sem grandes dificuldades, no caixa eletrônico, na internet ou por meio do aplicativo de seu banco ou de sua corretora.
Os valores mínimos de aplicação e os prazos de vencimento, por outro lado, são definidos por cada emissor, sendo que hoje existem muitos bancos que exigem um investimento mínimo de apenas R$ 100,00 para se adquirir um CDB, o que permite que pequenos investidores tenham acesso a essa espécie de aplicação financeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *