Os melhores e piores investimentos de 2020

Os efeitos gerados pelo vírus Sars-Cov-2, causador da doença Covid 19, serão sentidos por pelo menos uma década, não apenas por aqueles que perderam amigos e familiares, mas também por todos aqueles que, de uma forma ou de outra, dependem do Estado para sobreviver, já que um rombo fiscal de quase R$ 800 bilhões e uma dívida pública que se aproxima de 100% do PIB dificilmente não serão sentidos pela sociedade brasileira
Não obstante, embora os investidores brasileiros tenham tomada um grande susto, vendo o Ibovespa cair de 119 mil pontos para cerca de 63 mil pontos em poucas semanas, o que levou a uma série nunca antes vista de circuit breakers (mecanismo que suspende temporariamente as negociações se o Ibovespa cai mais de 10%), a Bolsa de Valores de São Paulo conseguiu se recuperar, encerrando o ano praticamente estável.
O ouro e o dólar, que são considerados um porto seguro em um mar de incertezas, por outro lado, dispararam, e se tornaram os investimentos mais rentáveis de 2020.
Confira:
Ouro: +55,93%
Dólar Comercial: +29,22%
Tesouro Prefixado 2023: +8,38%
Fundos Multimercados: +6,98%
Tesouro IPCA+ 2035: +5,41%
Fundos de Ações: +4,87%
Índice Ibovespa: +2,92%
Tesouro Selic 2025 (LFT): +2,17%
Poupança: +2,11%
Fundos de Renda Fixa: +1,85%
Fundos Imobiliários (IFIX): 10,24%

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *