IPO – Initial Public Offering

Os IPOs, isto é, as ofertas públicas iniciais, nada mais são que eventos em que uma companhia decide abrir seu capital e vender suas ações na bolsa de valores.
O lançamento de ações na bolsa de valores, com efeito, é uma das alternativas de que dispõe uma companhia para levantar capital junto a investidores, sem ter que se preocupar com o pagamento dos juros cobrados em empréstimos e financiamentos. E isso, em tese, faz um grande sentido, mas apenas no caso de ofertas públicas primárias, que são aquelas em que uma companhia emite novas ações e nas quais o dinheiro levantado por meio do IPO é revertido integralmente para o caixa da companhia.
Nas ofertas públicas secundárias, por outro lado, as ações vendidas são aquelas que até então estavam na posse de acionistas da companhia, razão pela qual os valores levantados em ofertas públicas secundárias em nada alteram a situação financeira da companhia, por irem direto para o bolso de seus antigos acionistas.
Pessoalmente, porém, eu acredito que os IPOs raramente representam um bom negócio, sobretudo quando se trata de uma oferta secundária.
Afinal, quem quer vender, geralmente quer receber mais do que determinada empresa realmente vale. Caso contrário, não haveria porque abrir o capital ou vender as ações de que é titular, no caso de ofertas públicas secundárias.
Observe, nesse aspecto, que a maior parte dos IPOs ocorre quando o mercado acionário está próximo de suas máximas históricas. Em 2006 e 2007, por exemplo, houve quase 100 ofertas públicas iniciais na bolsa brasileira, mais do que nos dez anos anteriores, mas, em 2008, quando o mundo foi atingido pela crise do suprime, houve apenas 4 IPOs.
Além disso, como há muitas pessoas querendo participar de ofertas públicas iniciais, seu preço provavelmente não é atraente, e os maiores ganhadores serão provavelmente investidores institucionais que puderam participar das fases anteriores à abertura de capital.
De toda forma, você provavelmente vai encontrar diversas notícias em que “investidores” afirmam que tiveram lucros sensacionais ao participar de uma oferta pública inicial, e, em algumas circunstâncias, essas notícias de fato são verdadeiras.
Mas, não se engane, não existe dinheiro fácil.
Por essa razão, cabe a você ponderar os riscos envolvidos antes de arriscar seu suado dinheirinho para participar do IPO de uma empresa que até então você sequer conhecia.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *