Juros simples e juros compostos

No artigo de hoje, vamos analisar o que são juros simples e o que são juros compostos e quais são as suas implicações para o investidor brasileiro.
Pois bem.
Os juros simples representam os juros que são calculados sobre o capital inicialmente aplicado e que, portanto, não variam ao longo do tempo.
Uma aplicação de R$ 10.000,00, por exemplo, gera os seguintes juros se mantida durante 6 meses, com base em uma taxa de juros simples de 1% ao mês:
Mês 0) Capital acumulado: R$ 10.000,00
Mês 1) Capital acumulado: R$ 10.100,00 (juros = R$ 10.000,00 * 1% = R$ 100,00)
Mês 2) Capital acumulado: R$ 10.200,00 (juros = R$ 10.000,00 * 1% = R$ 100,00)
Mês 3) Capital acumulado: R$ 10.300,00 (juros = R$ 10.000,00 * 1% = R$ 100,00)
Mês 4) Capital acumulado: R$ 10.400,00 (juros = R$ 10.000,00 * 1% = R$ 100,00)
Mês 5) Capital acumulado: R$ 10.500,00 (juros = R$ 10.000,00 * 1% = R$ 100,00)
Mês 6) Capital acumulado: R$ 10.600,00 (juros = R$ 10.000,00 * 1% = R$ 100,00)
Mês 6) Juros acumulados: R$ 600,00
Os juros compostos, por outro lado, são os juros que são adicionados ao capital a cada novo período, aumentando os juros devidos/recebidos no período seguinte.
Uma aplicação de R$ 10.000,00, por exemplo, gera os seguintes juros se mantida durante 6 meses, com base em uma taxa de juros compostos de 1% ao mês:
Mês 0) Capital acumulado: R$ 10.000,00
Mês 1) Capital acumulado: R$ 10.100,00 (juros = R$ 10.000,00 * 1% = R$ 100,00)
Mês 2) Capital acumulado: R$ 10.201,00 (juros = R$ 10.100,00 * 1% = R$ 101,00)
Mês 3) Capital acumulado: R$ 10.303,01 (juros = R$ 10.201,00 * 1% = R$ 102,01)
Mês 4) Capital acumulado: R$ 10.406,04 (juros = R$ 10.303,01 * 1% = R$ 103,03)
Mês 5) Capital acumulado: R$ 10.510,10 (juros = R$ 10.406,04 * 1% = R$ 104,06)
Mês 6) Capital acumulado: R$ 10.615,20 (juros = R$ 10.510,10 * 1% = R$ 105,10)
Mês 6) Juros acumulados: R$ 615,20
Perceberam a diferença?
A aplicação analisada, a juros simples, rendeu R$ 600,00 durante 6 meses.
A mesma aplicação, a juros compostos, renderia R$ 15,20 a mais durante esse mesmo período
Parece pouco, é verdade, mas pense em um horizonte de tempo mais longo… Em 5 anos, por exemplo, a aplicação analisada, a juros compostos, renderia R$ 8.166,97, ao mesmo tempo em que a mesma aplicação, a juros simples, renderia apenas R$ 6.000,00.
E isso é muito importante em uma economia como a nossa, em que, devido à inflação, os juros simples são praticamente inaplicáveis, salvo na cabeça de advogados e de alguns juízes, que pouco ou nada sabem de matemática.
Até mesmo a poupança, aliás, por mais módicos que sejam os seus rendimentos, utiliza a sistemática de juros compostos, que são mensalmente adicionados às nossas economias para fins de cálculo dos juros do período seguinte.
Felizmente, os juros pagos em aplicações de renda fixa tradicionais, como o Tesouro Direto e os Certificados de Depósito Bancário, são juros compostos, e, a cada mês, estamos ganhando um pouquinho mais que no mês anterior.
Por isso, é seguro dizer: os juros compostos são amigos ao investidor.
Como calcular os juros de uma aplicação?
Juros simples: Montante = Capital x (1 + taxa de juros x número de meses/anos)
Juros compostos: Montante = Capital x (1 + taxa de juros) ^ número de meses/anos
Juros = Montante acumulado – Capital inicialmente aplicado

* O símbolo ^ é um indicador de potência (exemplo: 2 ^ 2 é equivalente a 2²).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *