Letra de Câmbio (LC)

As Letras de Câmbio em muito se assemelham aos Certificados de Depósito Bancário (CDBs), sendo utilizadas pelas financeiras para a captação de recursos junto a investidores.
Os recursos obtidos, por sua vez, são utilizados na concessão de empréstimos e financiamentos a clientes que, de outra forma, não teriam acesso ao crédito por meio de outras instituições financeiras.

Rentabilidade:

Como os recursos captados por meio de Letras de Câmbio são utilizados em empréstimos e financiamentos a pessoas e empresas com um risco de crédito significativo, que não conseguiram obter um empréstimo junto aos bancos tradicionais, o risco dessa espécie de título costuma ser maior que o dos CDBS.
Por isso, os rendimentos gerados pelas Letras de Câmbio são geralmente superiores aos da tradicional caderneta de poupança, o que as torna uma opção interessante para aqueles que buscam diversificar seus investimentos.
De toda forma, é preciso compreender que as Letras de Câmbio podem ser pré-fixadas, sendo a taxa de juros estabelecida no momento da aplicação, ou pós-fixadas, quando os rendimentos do título são indexados à taxa CDI, que é um indicador usado como referência de rentabilidade pelas instituições financeiras (na realidade, a taxa CDI representa os juros cobrados pelos bancos na concessão de empréstimos entre si).
A maior parte das LCs, aliás, está indexada à taxa CDI, o que facilita a sua comparação com outras espécies de investimento.
Liquidez:

A liquidez das Letras de Câmbio é definida no momento da aplicação, sendo que muitas LCs somente podem ser resgatadas na data de seu vencimento.
Boa parte das Letras de Câmbio, porém, possui liquidez diária e pode ser resgatada a qualquer momento.
Segurança:

As Letras de Câmbio, quando emitidas por instituições associadas, estão protegidas pelo Fundo Garantidor de Crédito – FGC, que cobre perdas de até R$ 250.000,00 por CPF e instituição financeira.
Ou seja, se a financeira emissora de sua Letra de Câmbio quebrar, seus investimentos em renda fixa, desde que inferiores a R$ 250.000,00, serão assegurados pelo Fundo Garantidor de Crédito.
Por essa razão, embora as financeiras não sejam tão seguras quanto os grandes bancos, é possível dizer que as Letras de Câmbio não são um investimento de alto risco.
Por cautela e para evitar uma incomodação, no entanto, recomenda-se que o investidor dê uma olhada no histórico da financeira emissora da Letra de Câmbio que pretende adquirir, para verificar se ela não sofreu prejuízos nos últimos anos.

Imposto de renda:

Diferentemente dos rendimentos obtidos na tradicional caderneta de poupança, os rendimentos gerados pelas Letras de Câmbio estão sujeitos à incidência de imposto de renda, que será descontado na fonte segundo as seguintes alíquotas:
– aplicações de até 180 dias: 22,5% sobre os rendimentos
– aplicações de 181 a 360 dias: 20% sobre os rendimentos
– aplicações de 361 a 720 dias: 17,5% sobre os rendimentos
– aplicações acima de 720 dias: 15% sobre os rendimentos
Os rendimentos gerados pelas Letras de Câmbio, consequentemente, estão sujeitos ao imposto de renda de forma definitiva, que é recolhido automaticamente pela financeira emissora, de forma que não aumentam a renda do contribuinte para fins de imposto de renda na declaração de ajuste anual, na qual somente devem ser declarados na aba Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva ou Definitiva.
Além disso, é preciso registrar que, se você resgatar suas LCs antes de 30 dias, seus rendimentos estarão sujeitos à incidência do Imposto sobre Operações Financeiras segundo a tabela regressiva, reduzindo significativamente sua rentabilidade (o IOF, nesse caso, acaba sendo utilizado pelo governo como uma forma de estimular a manutenção dessa espécie de investimentos por pelo menos 30 dias).

Como investir:

Para se investir em uma Letra de Câmbio é preciso ter uma conta na financeira emissora, ou em uma corretora de valores que faça a distribuição de títulos emitidos por diversas instituições financeiras.
Os valores mínimos de aplicação e os prazos de vencimento, por outro lado, são definidos por cada emissor, sendo que hoje existem muitas financeiras que exigem um investimento mínimo de apenas R$ 1.000,00 para se adquirir uma Letra de Câmbio, o que permite que pequenos investidores tenham acesso a essa espécie de aplicação financeira.

Informações adicionais:

Quadro comparativo de investimentos em renda fixa – clique aqui

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *