Letra de Crédito do Agronegócio (LCA)

As Letras de Crédito do Agronegócio, assim como os Certificados de Depósito Bancário (CDBs), representam um empréstimo que o investidor faz a determinada instituição financeira.

Os recursos obtidos com a emissão de LCAs, no entanto, só podem ser utilizados na concessão de empréstimos ao setor agropecuário, diferentemente dos CDBs, que geram recursos para a concessão de qualquer modalidade de empréstimo ou financiamento.

Ou seja, através das Letras de Crédito do Agronegócio, que são tão seguras quanto a caderneta de poupança, você empresta dinheiro a um banco para que este conceda empréstimos e financiamentos a produtores rurais, a serem utilizados no fomento da produção, beneficiamento ou industrialização de produtos agropecuários ou na aquisição de máquinas e implementos utilizados na agricultura, na pecuária ou em atividades relacionadas.

Rentabilidade:

Os rendimentos gerados pelas Letras de Crédito do Agronegócio geralmente são superiores aos da tradicional caderneta de poupança, o que as torna uma aplicação interessante para aqueles que buscam diversificar seus investimentos e que não gostam de tomar grandes riscos.

Uma LCA que oferecesse ao investidor 94% da taxa CDI, por exemplo, renderia em 2 anos aproximadamente 11,42%, caso a taxa básica de juros permanecesse em 6% ao ano. A poupança, no mesmo período, renderia apenas 8,49%.

Tendo isso em conta, é essencial compreender que as Letras de Crédito do Agronegócio podem ser pré-fixadas, sendo a taxa de juros estabelecida no momento da aplicação, ou pós-fixadas, quando os rendimentos do título são indexados a algum índice de preços ou à taxa CDI, que é um indicador usado como referência de rentabilidade pelas instituições financeiras (na realidade, a taxa CDI representa os juros cobrados pelos bancos na concessão de empréstimos entre si).

A maior parte das LCAs emitidas no Brasil, aliás, está indexada à taxa CDI, o que facilita a sua comparação com outras espécies de investimento.

Nesse aspecto, é bom lembrar que, quanto maior for o prazo de sua Letra de Crédito do Agronegócio, maior tende a ser a sua rentabilidade – um mesmo banco, por exemplo, pode emitir uma Letra de Crédito do Agronegócio de 6 meses, pagando 90% da taxa CDI, e uma letra de crédito de 2 anos, pagando 95% da taxa CDI.

Além disso, é interessante registrar que a rentabilidade das LCAs varia de instituição financeira para instituição financeira (bancos pequenos e médios geralmente oferecem rendimentos maiores) e de acordo com o prazo e volume da aplicação (prazos e aplicações maiores garantem ao investidor uma remuneração significativamente maior).
Liquidez:

A grande desvantagem das Letras de Crédito do Agronegócio está em sua liquidez, pois esses títulos, em regra, não podem ser resgatadas antes de seus vencimentos. Ou seja, se você adquiriu uma LCA de 2 anos, só poderá resgatar seu dinheiro em 2 anos.


Segurança:

As Letras de Crédito do Agronegócio, assim como a caderneta de poupança e os CDBs, estão protegidas pelo Fundo Garantidor de Crédito – FGC, que cobre perdas de até R$ 250.000,00 por CPF e instituição financeira.


Ou seja, se o banco emissor de sua LCA quebrar, seus investimentos em renda fixa, desde que inferiores a R$ 250.000,00, serão assegurados pelo Fundo Garantidor de Crédito.


Por isso, é possível dizer que as Letras de Crédito do Agronegócio são um investimento de baixo risco.

Imposto de renda:

As Letras de Crédito do Agronegócio são isentas de imposto de renda, e é esse, para muitos investidores, o seu principal atrativo, pois rendem mais que a caderneta de poupança e são igualmente isentas de imposto de renda.

Um CDB que oferecesse ao investidor 100% da taxa CDI, por exemplo, renderia em 2 anos aproximadamente 10,33%, após o desconto do imposto de renda, caso a taxa básica de juros permanecesse em 6% ao ano. Uma LCA que oferecesse ao investidor 92% da taxa CDI, por outro lado, renderia 11,18% no meso período.

No caso de pessoas jurídicas com fins lucrativos, por outro lado, as LCAs são tributadas segundo as regras aplicáveis a outras aplicações de renda fixa.

Como investir:

Para se investir em Letras de Crédito do Agronegócio é preciso ter uma conta no banco emissor, ou em uma corretora de valores que faça a distribuição de títulos emitidos por diversas instituições financeiras.

Os valores mínimos de aplicação e os prazos de vencimento, com efeito, são definidos por cada emissor, mas hoje existem bancos que exigem um investimento mínimo de apenas R$ 1.000,00 para se adquirir uma LCA, o que permite que pequenos investidores tenham acesso a essa espécie de aplicação financeira.

Informações adicionais:

Quadro comparativo de investimentos em renda fixa – clique aqui

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *