Poupança, CDB, LCI, LCA, Tesouro Direto ou Fundo DI?

img-responsiva
O ciclo de quedas de nossa taxa básica de juros chegou ao fim e, com o recente aumento de 0,75% na Taxa Selic, a nossa taxa básica de juros passou de 2% para 2,75%.
Esse movimento, porém, já era esperado pelos economistas, não apenas como forma de conter a inflação e de reduzir a valorização do dólar, já que juros maiores reduzem a procura por empréstimos e financiamentos e atraem investidores estrangeiros, mas como forma de permitir o refinanciamento da dívida pública brasileira, que já ultrapassou o patamar de R$ 5 trilhões.
Afinal, com uma inflação que parece estar fugindo do controle, somada a um descontrole fiscal em todas as esferas de governo, são poucos os investidores, nacionais e estrangeiros, dispostas a emprestar dinheiro ao governo federal em troca de míseros 2%, que não são suficientes nem mesmo para compensar metade da inflação esperada para os próximos 12 meses.
Mesmo com o aumento da Taxa Selic, contudo, quase todos os investimentos em renda fixa disponíveis no nosso país que são indexados à taxa CDI ou à taxa Selic ainda terão rendimentos reais negativos, pois não conseguirão nem mesmo assegurar o valor da moeda, já que a expectativa de inflação para os consumidores brasileiros relativa aos próximos 12 meses é de mais de 4%.
De toda forma, novamente atualizei nossa planilha, para que você consiga calcular quanto renderão as principais aplicações em renda fixa com a Selic em 2,75% a.a.
— // —
Para consultar o quadro atual, com projeções de rentabilidade baseadas na Taxa Selic em vigor, clique aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *